Menu Fechar
Economia Circular na saúde oral
Economia Circular na saúde oral
Slide
A economia circular aplicada à saúde, enquanto ferramenta de sustentabilidade e programa de apoio social.
Slide
A economia circular aplicada à saúde, enquanto ferramenta de sustentabilidade e programa de apoio social.
previous arrow
next arrow

ECONOMIA CIRCULAR
NA SAÚDE ORAL

A economia circular na saúde assume uma importância enorme, na medida em que consome bastantes matérias-primas, infraestruturas, competências humanas, entre outras, sem que muitas vezes se realize uma gestão eficiente das mesmas - uma gestão zero desperdício.
 
As doenças orais afetam de forma direta uma determinada parte do corpo, mas as suas consequências podem causar impacto no organismo de uma forma global. Por essa razão, a World Health Organization (WHO) define a saúde oral, como sendo essencial para a saúde geral e para a qualidade de vida da população.
 
Por outro lado, em Portugal existe uma questão de falta de acesso aos cuidados de Saúde Oral universal o que tem um elevado impacto em grupos de risco (grávidas, doentes respiratórios, diabéticos e crianças), e afetam o dia-a-dia da população, em particular destaca-se o absentismo, o cancro oral e a alimentação deficitária. Entre impactos constituem barreiras sociais, culturais e económicas ao desenvolvimento individual, num panorama associado à pobreza. , sendo que a Constituição da República Portuguesa refere no nº2 do Artigo 64ºque compete primeiramente ao Estado, de modo a asseverar o direito à proteção da saúde, garantir o acesso de todos os cidadãos, independentemente da sua condição económica, aos cuidados da medicina preventiva, curativa e de reabilitação. No entanto a cobertura formalmente abrangente do SNS português, apresenta várias exceções, sendo a mais evidente a da medicina dentária, que é maioritariamente privada, que só trabalhando a nível do regime privado, não conseguem chegar à população mais desfavorecida.
 
Paradoxalmente, Portugal tem excesso de Médicos Dentistas (comparados aos números recomendados pela OMS) e profissionais de saúde oral e muitos em situação precária que a pandemia veio agravar. Assim a Zero Desperdício está a desenvolver com profissionais de saúde oral, coordenado pela Sr.a Dr.a Ana Sofia Lopes, um projeto e solução integrada de economia circular na saúde oral (assegurando indicadores de alto impacto social e com um conjunto de preocupações sociais, ambientais e económicas) que visa mitigar os impactos no acesso à saúde oral dos mais carenciados e contribuir para que os profissionais de saúde oral mantenham a prossecução da sua profissão.
 
Tudo se pode conjugar de uma forma sustentável.
 
Nada se Perde. Tudo se transforma.
 

Dra. Ana Sofia Lopes | Coordenadora do projeto

 

Dra. Ana Sofia Lopes saúde oral

-Médica Dentista pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, OMD 3212;

-Programa internacional de Pós-Graduação em Prostodontia, New York University College of Dentistry em full time;

-Programa internacional de Pós-Graduação em Implantologia New York University College of Dentistry em full time;

-Especialista em Cirurgia Oral pela Ordem dos Médicos Dentistas;

-Aluna Doutoramento na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa;

-Directora clínica e prática exclusiva em cirurgia oral na Malo Dental Cascais;

-Membro palestrante do Congresso Internacional de Implantologia Oral (ICOI).

-Membro da Academia de Osseointegração (AO)

-coordenadora de projeto de economia circular e sustentável na Saúde Oral, na Zero Desperdício.