Menu Fechar
Modelo Zero Desperdício para recuperação de excedentes
Modelo Zero Desperdício para recuperação de excedentes
Modelo operacional Zero Desperdício
PlayPlay
Recuperar excedentes
assenta num modelo desenvolvido pela ZERO DESPERDÍCIO, cujo design assenta nos princípios de uma economia circular e colaborativa, fomentando o uso dos recursos já existentes e locais.
CAPACITAÇÃO
REDISTRIBUIÇÃO
DOAÇÃO
MONITORIZAÇÃO
RECOLHA
MEDIÇÃO DE IMPACTOS
Modelo operacional Zero Desperdício
PlayPlay
Recuperar excedentes
assenta num modelo desenvolvido pela ZERO DESPERDÍCIO, cujo design assenta nos princípios de uma economia circular e colaborativa, fomentando o uso dos recursos já existentes e locais.
CAPACITAÇÃO
REDISTRIBUIÇÃO
DOAÇÃO
MONITORIZAÇÃO
RECOLHA
MEDIÇÃO DE IMPACTOS
previous arrow
next arrow

O MODELO
ZERO DESPERDÍCIO

O Modelo Zero Desperdício objetiva a recuperação de excedentes em Rede. Um modelo de pessoas para pessoas e pelo Ambiente, que beneficia do suporte de uma plataforma tecnológica - ZERO DESPERÍCIO 360 WEB APP - dotada de ferramentas de Business Intelligence, que permite conectar entidades à escala nacional, recolher dados relativos às doações realizadas; medir impactos sociais, económicos e ambientais; escalável a outros territórios a nível nacional e internacional. Um modelo em constante adaptação e evolução face às necessidades. Um modelo sempre em estreita colaboração com as autoridades nacionais, que assegura as normas de higiene e a segurança no âmbito alimentar, têxtil ou outro fluxo, ao longo de toda a cadeia de distribuição.

 

A ZERO DESPERDICIO faz chegar todas as doações a pessoas em situação de carência, num Movimento Zero Desperdício composto por retalhistas, restaurantes e similares, entidades públicas, organizações sociais e de solidariedade locais, todos juntos em prol da Sociedade e do Ambiente. A recuperação de excedentes alimentares e outros não só permite minimizar as carências alimentares e outras, como permite poupar o investimento financeiro necessário para apoiar as pessoas em situação de carência; não só permite otimizar os recursos naturais, humanos e financeiros utilizados na produção e confeção dos dos produtos, como permite que estes se mantenham no ciclo de vida e que cumpram o fim para o qual foram produzidos – consumo humano; não só evita uma maior emissão de gases CO2 para atmosfera como contribui para as metas nacionais e europeias no âmbito da redução de emissões gás efeito de estufa; outros “não só” poderíamos continuar a enunciar como vantagens da recuperação de excedentes em fim-de-vida, em prol do bem-estar Social, da Economia e do Ambiente.

 

Este trabalho conjunto é realizado utilizando os meios que já existem nos locais onde a recuperação de excedentes acontece, maximizando os recursos que já se encontram nos diversos concelhos do país (nas entidades doadores e recetoras), por forma a tornar o nosso próprio modelo de funcionamento zero desperdício, enquanto organização sem fins lucrativos que visa reduzir o desperdício onde exista.

 

O Modelo Zero Desperdício obedece às seguintes etapas:

 

Modelo Operacional

Registo

Registo da entidade e análise de espectativas

A Zero Desperdício recebe o registo da entidade que se candidata a entrar na Rede; faz a conexão com uma entidade que cumpra os requisitos necessários e esteja disponível para colaborar; e capacita ambas as entidades para o início da recuperação de excedentes de acordo com as normas de higiene e segurança, nacionais e europeias.

O PAPEL DAS ENTIDADES DOADORASS

Entidades ambientalmente e socialmente responsáveis

A entidade doadora prepara os excedentes em boas condições para redistribuição e consumo humano e armazena-as de acordo com o Guia de Higiene e Segurança da ZERO DESPERDÍCIO.

O PAPEL DAS ENTIDADES RECETORAS

Organizações sociais ou de solidariedade social

A entidade recetora recolhe, transporta e armazena os excedentes doados cumprindo os procedimentos do Guia de Higiene e Segurança da ZERO DESPERDÍCIO.

O PAPEL DOS BENEFICIÁRIOS

COMUNIDADE CARENCIADA

Os beneficiários dos excedentes são, normalmente, cidadãos que se encontram em situação vulnerável e em contacto com as entidades recetoras.

ENTIDADE GESTORA

O PAPEL DA ZERO DESPERDÍCIO

A equipa gestora do Movimento ZERO DESPERDÍCIO coordena e monitoriza todas as etapas do processo; estabelece os contactos entre as entidades doadoras e recetoras, define o processo de doação estratégica e operacionalmente; capacita as entidades doadoras e recetoras para que a doação cumpra as normas de higiene e segurança alimentar nacionais e europeias; monitoriza as condições de transporte, armazenamento e distribuição de excedentes alimentares realizado pelas entidades recetoras; é o elo de ligação entre as entidades doadoras e recetoras; estabelece pontes entre todos os agentes – entidades doadoras, recetoras, empresas, câmaras e juntas de freguesia; realiza o tratamento dos dados referentes às doações realizadas transformando os mesmos em impactos sociais, económicos e ambientais, imprescindíveis à determinação da pegada ecológica das diversas entidades; investe no desenvolvimento de recursos lúdico-pedagógicos, bem como, promove campanhas de comunicação que visam a sensibilização para a prevenção e redução do desperdício alimentar.

[bold_timeline_item_button title=”Expand” style=”” shape=”” color=”” size=”inline” url=”#” el_class=”bold_timeline_group_button”]